GOVERNO DO ESTADO JÁ TEM CALENDÁRIO DE PAGAMENTO DOS SERVIDORES PARA 2020…Caso o governador Flávio Dino sancione a ainda em Novembro a reforma da Previdencia estadual, as novas alíquotas de contribuição começa já em fevereiro, px. ano

O Governo do Maranhão, sob a gestão de Flávio Dino (PCdoB), definiu o calendário de pagamento do servidor público do Poder Executivo estadual para o exercício de 2020.

Segundo estabelecido, o pagamento da folha do funcionalismo ocorrerá sempre no mês subsequente ao trabalhado, como já vinha ocorrendo nos anos anteriores da gestão comunista. Havendo viabilidade financeira, porém, o pagamento pode ser antecipado.

O decreto com a aprovação das datas foi publicado no DOE (Diário Oficial do Estado), na edição da última quarta-feira 20.

Caso Dino sancione ainda em novembro a reforma da Previdência estadual, aprovada pela Assembleia Legislativa nesta semana, as novas alíquotas de contribuição começarão a ter seus efeitos produzidos nos contra-cheques dos servidores, incluindo aposentados, a partir do pagamento de fevereiro do próximo ano.

Abaixo, o calendário de pagamento 2020 do Governo do Maranhão:

Janeiro – 03.02.2020
Fevereiro – 02.03.2020
Março – 02.04.2020
Abril – 04.05.2020
Maio – 03.06.2020
Junho – 03.07.2020
1ª parcela do 13º salário – 03.07.2020
Julho – 03.08.2020
Agosto – 04.09.2020
Setembro – 02.10.2020
Outubro – 04.11.2020
Novembro – 02.12.2020
2ª parcela do 13º salário – 16.12.2020
Dezembro – 04.01.2021

T

O GLOBO DESTACA ISOLAMENTO DO PT AO FICAR CONTRA ACORDO BRASIL/EUA

O jornal O Globo destacou na edição desta segunda-feira (18) o isolamento em quer ficou o PT ao posicionar-se contra o Acordo de Salvaguardas Tecnológicas (AST), assinado entre Brasil e Estados Unidos, e que permitirá o lançamento de satélites com tecnologia norte-americana a partir de Alcântara no Maranhão.

Segundo a publicação, sustentando teses anti-imperialistas que remontam à Guerra Fria, os petistas ficaram sozinhos, abandonados até mesmo por aliados como PDT, PCdoB e PSB.

O Globo lembrou, ainda, do desperdício de mais de R$ 2 bilhões no acordo com a Ucrânia que possibilitou a criação da empresa binacional Alcântar Cyclone Space.

” O PT entregou Alcântara a uma empresa binacional e, literalmente, torrou US$ 500 milhões (R$ 2 bilhões) num programa aeroespacial do qual não restou nada — salvo um astronômico prejuízo num negócio inexplicável à luz da racionalidade econômica e da transparência que deve orientar os contratos públicos. Desperdiçou um volume de dinheiro equivalente a 2% do PIB do Maranhão, sem qualquer consequência objetiva para a vida de sete milhões de maranhenses, dos quais 81% continuam sem saneamento e 30% não têm acesso a água encanada”, diz o editorial.

Leia a íntegra abaixo.

Poucas vezes um partido amargou tamanho isolamento como aconteceu com o PT, na semana passada, durante a votação final no Senado do acordo Brasil-Estados Unidos para uso do Centro Espacial de Alcântara, no Maranhão. Ficou absolutamente só, em posição contrária à aprovação do convênio sobre salvaguardas tecnológicas entre os dois países.

Trata-se de um instrumento importante para o futuro da indústria aeroespacial brasileira, porque a tecnologia americana se tornou hegemônica e está presente em mais de 80% dos satélites e foguetes usados.

 

O MARANHÃO VAI RECEBER R$277 MILHÕES DO LEILÃO DO PRÉ -SAL

O governo federal arrecadou R$ 70 bilhões nesta quarta-feira, 06, com o megaleilão do pré-sal. Além do impacto na produção de óleo e gás brasileira nos próximos anos, a rodada será um alívio financeiro para os cofres da União, Estados e municípios.

O montante é referente ao pagamento do bônus de assinatura. Essa é a quantia que as petroleiras vencedoras pagarão à União pelo direito de explorar e produzir petróleo no pré-sal.

Esse valor será dividido da seguinte forma: União (67%), Estados (15%) e municípios (15%).

O Maranhão receberá R$ 277 milhões.

No primeiro estudo divulgado, a receita seria de R$ 731,5 milhões, mas com o projeto aprovado no início de outubro, a previsão era que o Maranhão receberia R$ 564,4 milhões.

Como o leilão foi aquém do esperado, o estado receberá apenas R$ 277 milhões.